Sociedade

Mais de 300 cidadãos de Lagos pedem à autarquia que proteja as falésias da Ponta da Piedade de interesses privados

06-04-2021

Advogados, empresários, celebridades - como o cantor Dino D'Santiago - e expatriados juntaram-se à campanha iniciada por um grupo de cidadãos

Jonathan Silva, ativista e membro do movimento DiEM25, vai entregar esta quarta-feira, às 11 horas, na Câmara de Lagos, juntamente com outros cidadãos, uma carta aberta assinada por mais de 300 cidadãos de relevância da cidade, a pedir que impeça o desenvolvimento de projetos de construção privados junto às falésias da Ponta da Piedade e que realize uma consulta pública.

O documento é assinado por advogados, empresários, investidores, professores dos ciclos e professores universitários, dentistas, psicólogos, sociólogos, arquitetos, investigadores, engenheiros ambientais, engenheiros agrónomos, membros reformados da Câmara Municipal, bem como celebridades como o cantor Dino D'Santiago que afirma: "Um Algarve de todos Nós merece a conservação da nossa riqueza Natural".

A campanha de Jonathan para proteger as falésias da Ponta de Piedade apresenta três exigências: acesso seguro às falésias através da remoção das vedações; retirada de quaisquer planos de desenvolvimento atuais para as falésias, ou licenças de construção e uma consulta pública para que a comunidade possa decidir com o município o que deve acontecer com a área.

Os subscritores defendem que “a comunidade deve ter o direito de votar em diferentes propostas de projetos sobre a melhor forma de utilizar ou desenvolver a área”.

Sobre o DiEM25

O DiEM25 é um movimento pan-europeu de democratas, unidos sob a convicção de que a União Europeia só sobreviverá se for radicalmente transformada.

A crise ambiental, económica e do coronavírus mostraram que soluções reais para a maioria e não para a minoria só podem surgir se unirmos forças através das fronteiras. Esta é a missão do DiEM25: realizar um esforço coordenado, em toda a Europa, para unir os cidadãos e criar energia suficiente para salvar a UE de si própria.

A UE irá unir-se ou desaparecer. Temos de agir rapidamente, antes que seja demasiado tarde: é por isso que somos o movimento Democracia na Europa 2025 (DiEM25).