Cultura.Sul

Em homenagem a Luís Andrade: FOTOGRAFANDO [fotogaleria do Museu Fotografia Andrade]

POSTAL

06-01-2020

Poema de Ludgero Faleiro, sentido e escrito no triste dia do falecimento do ilustre fotógrafo Luís Andrade, em homenagem ao seu amigo, um grande amigo da cidade de Tavira

"

De máquina ao ombro
Andava o Luís pela rua
Para fotografar uma flor
E a sentir como sua.

"Estás bom meu menino"
era a palavra que dizias,
Quando por mim passavas
Era o que bem sentias.

A todos cumprimentava
Com educação e simpatia.
Dava um lindo sorriso
E fazia uma fotografia.

A cidade era o seu mundo
E o registo de acontecimentos.
Tudo fazia com gosto,
Pois tinha bons sentimentos.

Homem de arte da foto,
dedicado e sem vaidade.
Tavira foi o seu berço,
desde a sua tenra idade.

Construiu uma casa museu
Com as fotos do seu povo.
Tudo fez com muito amor
Mas partiu ainda novo.

A paisagem ficou mais pobre
com essa triste partida.
Saudades deixou atrás
e à sua família querida.

Que Deus o guarde eternamente
e todo o seu grande dom.
Abraços leva-os consigo,
por ter sido um homem bom.

04-01-2020

Ludgero Faleiro

RELACIONADO:

Morreu Luís Andrade, ilustre fotógrafo tavirense

Em memória do amigo LUÍS ANDRADE: Morreu um Amigo [fotogaleria]

Luís de Melo e Horta apresenta novo livro no Clube de Tavira

Luís de Melo e Horta escreve livro sobre ‘Tavira e os Andrades – 120 anos de Fotografia’