Saúde

Municípios do Algarve investem 600 mil euros para que haja mais vagas no curso de medicina

20-04-2021

Acordo terá o seu término a 31 de dezembro de 2025 e prevê que, a cada ano letivo, o número de inscrições no mestrado aumente progressivamente

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) vai patrocinar o alargamento de vagas do curso de Medicina da Universidade do Algarve, contribuindo com 600 mil euros.

Este apoio financeiro tem como objeto "a concretização, reforço e alargamento do ensino da Medicina na Universidade do Algarve, através do ciclo de estudos do mestrado integrado em Medicina", explica a AMAL em comunicado.

O contrato será assinado pela AMAL, Universidade do Algarve, Associação para o Desenvolvimento do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve (AD-ABC) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (através da Direção Geral do Ensino Superior). A decisão foi tomada na reunião de abril do Conselho Intermunicipal.

O acordo terá o seu término a 31 de dezembro de 2025 e prevê que, a cada ano letivo, o número de inscrições no mestrado aumente progressivamente, sendo que no quinto e último ano o número de matrículas não deverá ser inferior a 96 alunos (atualmente são 64).

A AMAL considera decisivo "o investimento em todas as componentes da área da saúde na região do Algarve, designadamente equipamentos, pesquisa e desenvolvimento, respostas de serviços de saúde e formação superior e pós-graduada na área da saúde. Por essa razão, respondeu afirmativamente ao repto lançado pela Universidade e decidiu contribuir com 600 mil euros para que o aumento de vagas seja uma realidade já este ano".

Os presidentes de câmara do Algarve, que partilham "uma visão regional e preocupações de coesão territorial", decidiram, ainda assim, "unir esforços e colaborar financeiramente". Segundo explica a AMAL, "fazem-no como sinal de boa vontade, e por entenderem que o aumento da oferta formativa, especialmente nesta área, contribuirá para um bem público inquestionável do qual toda a região beneficiará".

A unanimidade na decisão foi aprovada para este primeiro ano, sendo que, nos quatro anos subsequentes, "será solicitado à Administração Central, através do Ministério da Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, para que assuma esta que é, efectivamente, uma responsabilidade sua".

O contrato, neste primeiro ano, já prevê algumas contrapartidas para os municípios, nomeadamente a criação e desenvolvimento de projetos, por parte do ABC (Algarve Biomedical Center), em articulação com a Administração Regional de Saúde do Algarve, que possam melhorar a qualidade dos cuidados de saúde prestados na região, bem como captação e fixação de profissionais de saúde no Algarve.