Sociedade

Movimento Tavira em Transição volta a denunciar continuação de trabalhos já embargados na Ria Formosa

11-06-2021

Movimento de Eco Cidadania diz que "o proprietário dos terrenos é reincidente na prática reiterada de, no mínimo, contraordenações ambientais, ao mesmo tempo que desrespeita um embargo que já tinha sido imposto pelo ICNF"

O Tavira em Transição - Movimento de Eco Cidadania voltou a denunciar a continuação do abate de árvores e movimentação de terras e despedrega no Parque Natural da Ria Formosa, em obras já embargadas, na União de Freguesias de Conceição e Cabanas de Tavira, concelho de Tavira.

O Movimento de Eco Cidadania afirma, em comunicado, que "o proprietário dos terrenos é reincidente na prática reiterada de, no mínimo, contraordenações ambientais, ao mesmo tempo que desrespeita um embargo que já tinha sido imposto pelo ICNF aos trabalhos e portanto, em nosso entender, está a praticar de forma reiterada um crime de desobediência".

"Já em setembro de 2020, e abril de 2021 sobre este mesmo terreno e por trabalhos ali executados foram realizadas várias denúncias, tendo à altura sido levantados respectivos autos, no caso, pelo ICNF, as obras foram embargadas e foi imposto aos proprietários a obrigatoriedade de reposição dos terrenos nas exactas condições em que estavam antes da intervenção ilegal", refere a mesma fonte.