Sociedade

Faro reforça parque verde com 375 novas árvores

09-06-2021

Espécies foram escolhidas em função das características técnicas apresentadas, de modo a que a sua integração no meio urbano se faça harmoniosamente, sem dificultar a circulação e a mobilidade pedonal

A Câmara de Faro adjudicou o fornecimento de mais 375 árvores para reforço dos trabalhos de reflorestação que se levam a cabo nas zonas verdes do concelho.

O contrato foi celebrado com a empresa Viveiros do Cardeal, pelo valor de 39.617,50 euros e contempla o fornecimento de 100 lodões (celtis australis), 20 jacarandás (jacaranda mimosifolia), 75 olaias (cercis siliquastrum), 50 ameixeiras do jardim (prunus cerasifera var. pissardii), 70 extremosas (lagerstroemia indica), 40 tipuanas (tipuana tipu) e ainda 20 laranjeiras azedas (citrus aurantium).

Segundo a autarquia farense, "estas espécies foram escolhidas em função das características técnicas apresentadas, de modo a que a sua integração no meio urbano se faça harmoniosamente, sem dificultar a circulação e a mobilidade pedonal". Outro aspeto tido em conta foi "o sistema radicular das espécies – procuraram-se árvores cujas raízes não provoquem danos nos pavimentos, muros e mobiliário urbano circundante, em respeito pelas características de cada zona do concelho".

"Cumprindo os calendários previstos, os trabalhos iniciar-se-ão nas próximas semanas e vão consistir na plantação das 375 árvores principalmente nas zonas onde existem caldeiras vazias e cepas de tronco, substituindo assim os exemplares arbóreos que se têm vindo a perder nos últimos anos", explica a câmara, acrescentando que "ao mesmo tempo serão substituídas todas as árvores que se encontrem em declínio ou mal formadas, proporcionando potenciais pontos de risco para pessoas e bens e/ou obstáculos à mobilidade, conforme levantamento efetuado pela Divisão de Ambiente da Câmara Municipal".

"Este investimento se insere no esforço contínuo do Município na reflorestação do concelho e que permitiu a aquisição de mais de 1.000 árvores nos últimos 3 anos", conclui.