Sociedade

Presidente da Câmara de Torres Vedras encontrado morto com "golpe de objeto cortante no pescoço"

Lusa

Expresso

03-05-2021

Corpo foi encontrado pelas autoridades por volta das 16h desta segunda-feira. Óbito poderá "estar relacionado com um golpe de objeto cortante no pescoço", confirmado pelas forças de autoridade na chegada ao local

O presidente da Câmara de Torres Vedras, Carlos Bernardes, foi esta segunda-feira encontrado morto em casa, confirmou fonte oficial do município à agência Lusa. A mesma fonte não adiantou as circunstâncias em que ocorreu a morte do autarca, eleito pelo Partido Socialista.

No entanto, fonte oficial da GNR adiantou ao Expresso que o óbito poderá "estar relacionado com um golpe de objeto cortante no pescoço", confirmado pelas forças de autoridade na chegada ao local. Questionada sobre se há suspeitas de que o golpe tenha sido auto-infligido, fonte da GNR remeteu mais detalhes para a investigação da Polícia Judiciária.

O autarca tinha 53 anos e foi encontrado sem vida em casa, na freguesia do Turcifal, em Torres Vedras.

O militante do PS assumiu a presidência da autarquia em 2015, depois de o ex-líder do executivo, Carlos Miguel, ter renunciado ao mandato para assumir funções no Governo. Carlos Bernardes era até aí vice-presidente do município, cargo que ocupava desde 2005. Em 2017, ganhou as eleições autárquicas no concelho, sendo que tinha já anunciado a recandidatura às eleições do presente ano.

Duarte Pacheco, deputado do PSD e candidato autárquico dos sociais-democratas a Torres Vedras, já reagiu no Facebook: Estou estupefacto. Há notícias que preferia nunca receber!!! Acabo de ter conhecimento da morte do Dr Carlos Bernardes, Presidente da Câmara de Torres Vedras. A minha primeira palavra é de profundo pesar pelo acontecimento e envio sinceras condolências à sua família, ao partido socialista e à autarquia de Torres Vedras", escreveu na sua página pessoal.

Duarte Pacheco acrescentou ainda isto: "Acredito que na vida política não vale tudo, e que é possível preservar as relações pessoais entre pessoas que representam partidos e projetos diferentes. Por isso mesmo mantínhamos uma relação de respeito e amizade, tendo sido a primeira pessoa a quem liguei para o informar da minha candidatura a Torres Vedras."


Notícia exclusiva do nosso parceiro Expresso

Em Destaque