Exclusivo

Saúde

Covid-19. Um terço dos doentes graves tem alterações no funcionamento do coração

Expresso

06-05-2021

No estado agudo da doença, as alterações podem chegar a comprometer a sobrevivência dos doentes

Os pericitos cardíacos são responsáveis pela manutenção da estrutura microvascular e as principais afetadas pela infecção covid no coração
Foto D.R.

Desde cedo que surgiram relatos de casos de inflamação e insuficiência cardíaca grave (miocardite) associada à covid-19, o que fez a comunidade científica desconfiar da interação do vírus com o coração.

Quando se percebeu que o SARS-CoV-2 entrava nas células humanas através de uma ligação entre a proteína vírica S (de Spike) e o recetor de membrana ECA2 (de Enzima Conversora da Angiotensina 2), tornou-se evidente como.

Segundo os resultados preliminares de um estudo conduzido por uma equipa do Hospital de São João, um terço dos doentes com formas graves da covid-19 tem modificações no funcionamento do coração.

No estado agudo da doença, as alterações podem chegar a comprometer a sobrevivência dos doentes. A longo prazo “podem representar um risco de doença cardíaca”.


Notícia exclusiva do nosso parceiro Expresso