Exclusivo

Saúde

Dos 41 concelhos acima do limiar de risco, quatro deles são do Algarve (veja como está o seu)

Expresso

POSTAL

30-04-2021

Aljezur (465), Vila Real de Santo António (181), Lagos (171) e Portimão (159) são agora os quatro concelhos algarvios que estão acima do limiar de risco definido pelo Governo. Dos 27 concelhos que ficaram em alerta no Continente, há 13 novas entradas e 14 reincidências

Odemira continua a ser o município com a pior situação, chegando atualmente aos 562 novos casos por 100 mil habitantes. Cabeceiras de Basto (531) e Aljezur (465) ocupam os lugares seguintes

Há neste momento 35 concelhos do Continente com uma incidência igual ou superior a 120 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias, ou seja, acima do limiar de risco definido pelo Governo. Juntando os concelhos das regiões autónomas, que se regem por regras diferentes, contam-se 41 concelhos que ultrapassaram esse patamar, menos dois do que na semana anterior, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgados esta sexta-feira e referentes ao período entre 14 e 27 de abril.

Odemira (562) e Cabeceiras de Basto (531) são os dois únicos concelhos com incidências muito elevadas, sendo que em Odemira o valor é inferior ao da semana anterior mas em Cabeceiras de Basto houve um agravamento do indicador. Há ainda 11 outros concelhos com valores acima de 240 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

São os sete concelhos e duas freguesias que não avançam para a nova fase de desconfinamento (e 27 ficam em alerta) no plano semanal de desconfinamento anunciado esta quinta-feira e que terá início já este fim-de-semana.

PESQUISE POR CONCELHO

Há 13 concelhos, todos eles no Continente, que passaram esta semana o limite dos 120 casos por 100 mil habitantes e juntaram-se à lista dos concelhos em alerta. No Norte: Boticas (120), Celorico de Basto (126), Lamego (157), Ponte da Barca (125) e Póvoa de Lanhoso (144); no Centro: Batalha (144), Figueiró dos Vinhos (233), Oliveira do Hospital (223) e Tábua (281); na região de Lisboa: Peniche (223); no Alentejo: Beja (226) e Vidigueira (218); no Algarve: Lagos (171).

Há ainda 14 concelhos que, não tendo conseguido baixar os valores da incidência, já estão há duas semanas em alerta: Alijó (198), Alpiarça (170), Arganil (236), Cabeceiras de Baixo (531), Castelo de Paiva (207), Cinfães (230), Coruche (298), Fafe (206), Melgaço (136), Paços de Ferreira (155), Penafiel (155), Peso da Régua (146), Tabuaço (249) e Vila Real de Santo António (181).

NÚMERO DE NOVOS CASOS POR 100 MIL HABITANTES

Incidência cumulativa a 14 dias, entre 14 e 27 de abril

Entre 14 e 27 de abril, a incidência aumentou em 104 dos 308 concelhos do país. Noutros 86 municípios manteve-se igual e desceu nos restantes 118. A maioria do país continua pintada de verde, com 213 concelhos abaixo dos 60 casos por 100 mil habitantes, contando-se 61 municípios sem nenhum caso em duas semanas.

Lisboa baixou para 76 casos/100 mil habitantes (na semana passada eram 96) e o Porto, que tinha 77 casos por 100 mil habitantes na semana passada, subiu para 88.

AÇORES

Nos Açores, na ilha de São Miguel, há três concelhos acima do limite dos 120 novos casos: Vila Franca do Campo (baixou de 1357 para 380), Lagoa (346) e Ribeira Grande (326). O Nordeste saiu do patamar 'muito elevado' para 'moderado' (baixou de 576 para 103).

Corvo, Graciosa e Pico não tiveram novos casos nos últimos 14 dias.

MADEIRA

A região da Madeira tem três concelhos acima do limiar de risco há duas ou mais semanas: Machico (300), Porto Moniz (229) e Funchal (147). Calheta e Porto Santo não tiveram novos casos nos últimos 14 dias.


Notícia exclusiva do nosso parceiro Expresso