Opinião

RISCOS PSICOSSOCIAIS E STRESS: Uma reflexão importante a ser feita, de Ludgero Faleiro

Crónica

19-03-2021

"Nos tempos que correm, o assédio psicológico e até o sexual têm entre outros casos, vindo a afectar muito o equilíbrio (desejável) para a Saúde Mental dos colaboradores (trabalhadores)"

Há diversos riscos no mundo em que vivemos, nomeadamente, os associados às actividades desenvolvidas pelo homem, sobretudo, no âmbito do exercício das suas profissões, que dada a importância que as reveste, pretendo aqui deixar algo "registado", despertando curiosidades e interesses.

Os riscos psicossociais têm especial significado para o homem que trabalha e para as empresas onde são exercidas as suas actividades e, por conseguinte, também para a economia do país.

A existência desse tipo de riscos passa por vezes desapercebida, por ser pouco visível aos olhos do homem comum, ou pouco notada, pelas organizações ou instituições, por se direccionarem ao estado psicológico do indivíduo.

No entanto surgem, também, riscos acrescidos ao nível físico e social, cujo conjunto conduz ao chamado stress laboral, afectando o desempenho dos respectivos colaboradores.

São pois "questões muito pertinentes" em matéria de segurança e saúde no trabalho e que provocam impactos sérios aos níveis pessoais, sociais e económicos...

Por exemplo, quantos dias de trabalho/ano, não serão perdidos nas empresas pelos seus colaboradores, por motivo do stress, relacionado pelo excesso de carga de trabalho, mas, também, relativo com o estado da sua saúde mental, afectada pela interacção dos diversos "agentes" envolvidos?!...

Nos tempos que correm, o assédio psicológico e até o sexual têm entre outros casos, vindo a afectar muito o equilíbrio (desejável) para a Saúde Mental dos colaboradores (trabalhadores).

As deficiências de concepção, organização, gestão do trabalho e contexto social problemático, produzem diversos efeitos nefastos complexos, nomeadamente, a depressão e o burnout (exaustão física, emocional ou mental).

Esta situação tem muito a ver com a existência da estigmatização e da incompreensão, sobretudo, provocadas, por problemas de ordem organizacional e gestão e não pela falha individual do colaborador (trabalhador). Os riscos psicossociais e o stress podem ser controlados de igual forma como quaisquer outros tipos de riscos, conhecidos pela S.H S.T.

Eis alguns exemplos de condições de trabalho, conducentes à existência de riscos psicossociais:

- excesso de cargas de trabalho;

- exigências pouco evidentes, sobre trabalhadores-colaboradores;

- falta de objectividade na definição das funções exercidas;

- falta de participação do trabalhador, nas tomadas de decisões e que o afetam directamente;

- má gestão de mudanças organizacionais;

- insegurança laboral;

- comunicação ineficaz chefia/colaborador (trabalhador);

- falta de apoio por parte das chefias e mesmo dos próprios colegas;

- assédio psicológico ou sexual;

- falta de rotatividade nos postos de trabalho;

- mudança brusca de posto de trabalho, sem a prévia formação;

- falta de estímulos,

- falhas de acções de formação;

- mau ambiente geral de trabalho, etc.

"A gestão do stress constitui uma obrigação moral e um bom investimento para as entidades empregadoras como, também, um imperativo legal estabelecido a partir da Diretiva-Quadro 89/391/CEE, reforçado por acordos-quadro com os parceiros sociais sobre stresse no trabalho, assédio (psicológico e sexual) e violência no trabalho".

"O Pacto Europeu para Saúde Mental e Bem-Estar, reconhecendo os vários problemas existentes no mundo laboral, incentiva as entidades empregadoras a implementar medidas voluntárias suplementares para a promoção do bem-estar mental".

Para além da responsabilidade legal da entidade empregadora em assegurar a avaliação e o controlo adequado dos riscos no local de trabalho, é essencial garantir também o envolvimento participativo dos trabalhadores ou dos seus representantes, nas fundamentais decisões que sobre os mesmos são exercidas.

Este envolvimento conjunto é muito importante para se ter uma melhor visualização e compreensão dos problemas que podem ocorrer no local de trabalho e, assim, garantir que as medidas aplicadas, sejam as mais adequadas e eficazes.

Nas empresas a identificação, prevenção, gestão dos riscos psicossociais e do stress relacionado com o mundo do trabalho são fundamentais para o Bem-Estar, Saúde Mental e um sucesso económico abrangente (empresa-trabalhador-país)...