Desporto

Portimonense e Rio Ave anulam-se em jogo de fraco nível técnico

01-05-2021

O Portimonense, sem triunfar há três encontros, está no 10.º lugar, com 34 pontos. Aos 79 minutos, os algarvios reclamaram a marcação de uma grande penalidade, por um alegado empurrão na área ao avançado Beto

Foto D.R.

Portimonense e Rio Ave anularam-se hoje ao empatarem a zero, em Portimão, no jogo da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, desfecho que reflete a fraca qualidade do futebol apresentado por ambas as equipas.

Com este resultado, os algarvios somaram o segundo empate consecutivo e mantiveram o 10.º lugar, com 34 pontos, enquanto os vila-condenses que não vencem há oito jornadas, ocupam a 15.ª posição, com 31 pontos.

No Municipal de Portimão, os dois conjuntos na luta pelos pontos e pela manutenção no escalão principal do futebol português, dividiram o domínio do jogo e as oportunidades de golo, num jogo muito tático e de fraco recorte técnico.

A formação comandada por Miguel Cardoso entrou melhor no jogo, assumindo o controlo do jogo, mas sem conseguir encontrar as soluções que lhe permitissem abrir espaços na defesa algarvia.

O Portimonense foi resistindo ao jogo ofensivo dos vila-condenses e, a partir dos 20 minutos, conseguiu equilibrar o jogo, passando a dividir a bola a meio-campo com o adversário.

Aos 25 minutos, a turma de Paulo Sérgio teve a primeira ocasião de golo do jogo, quando Dener com um passe longo isolou Fabrício, com o avançado algarvio a rematar de primeira fazendo a bola passar a escassos centímetros da baliza do Rio Ave.

Até ao intervalo, os vila-condenses tiveram também a oportunidade para abrirem o marcador, lance em que Guga (33), ganhou o espaço na área, mas acabou por rematar ao lado da baliza defendida por Samuel.

Na segunda parte, as duas equipas imprimiram maior velocidade ao jogo, o que lhes permitiu aproximarem-se com maior frequência de ambas as balizas, com algumas ocasiões de golo negadas pelos guarda-redes.

Kieszek, aos 70 minutos, negou o golo a Aylton Boa Morte, defendendo o remate do avançado algarvio perto da linha de golo.

No lado dos algarvios, Samuel esteve igualmente em evidência, ao travar o remate a Guga (84), jogador que mais se evidenciou na construção de jogo dos vila-condenses.

Aos 79 minutos, os algarvios reclamaram a marcação de uma grande penalidade, por um alegado empurrão na área ao avançado Beto.


Declarações dos treinadores


Paulo Sérgio (treinador do Portimonense): "Jogo muito competitivo, muito difícil, pois o Rio Ave tem bons executantes e neste momento está a entrar num processo bem vincado, com ideias bem definidas.

Tivemos ocasiões para marcar golos e ganhar o jogo, como o Rio Ave também teve.

Não houve muitas situações claras de golo, as duas equipas não concederam espaços e os momentos defensivos sobrepuseram-se aos ofensivos.

No entanto, fizemos tudo para vencer a partida e, se não conseguimos fazer melhor, deve-se ao bom desempenho do adversário.

Houve duas decisões da arbitragem com as quais não concordo: numa delas o Beto é afastado de jogar a bola e fico-me por aqui, a outra foi um livre à entrada da área já quase no final do jogo.

Este calendário é terrível, jogamos com Benfica com menos um dia de recuperação, fomos a Faro com menos dois dias e vamos jogar com o Belenenses SAD com menos um dia de descanso.

Esta é uma equipa jovem que precisa de trabalhar e nós há quatro semanas que não conseguimos trabalhar, com um acumular de cansaço neste final da época. Se houvesse um pouco melhor de critério não estávamos a passar o que estamos a passar.

Há jogadores que estão a acusar o esforço físico e, às tantas, vai-se perdendo alguma coisa daquilo que é a nossa matriz de jogo, isso está a preocupar-me".

Miguel Cardoso (treinador do Rio Ave): "Viemos jogar com o intuito de ganhar os três pontos e mantivemos essa atitude ao longo do jogo. Tivemos oportunidades para no momento certo fazer golo e colocar o jogo a nosso favor.

No entanto, reconheço que o Portimonense é uma equipa com valia e era fundamental defender bem, porque o jogo partido contra esta equipa não nos interessava nada.

Foi fundamental mantermos o foco e a atitude e apelei ao intervalo aos jogadores para manterem a concentração. Conseguimos e foi o detalhe que não permitiu que o jogo pendesse a nosso favor, pois podíamos ter conquistado aqui os três pontos.

Infelizmente, nos oito últimos jogos empatámos seis e perdemos dois, porque aqui e acolá as coisas não nos têm saído bem.

A equipa tem atitude competitiva e queremos manter o foco e essa atitude para chegarmos ao que queremos, que é a manutenção.

Os resultados dos adversários diretos quanto mais penderem a nosso favor melhor, no final interessa que o balanço saia a nosso favor."


Ficha técnica


Jogo realizado no Estádio Municipal de Portimão

Portimonense – Rio Ave: 0-0

Equipas:

- Portimonense: Samuel, Anzai, Maurício, Lucas Possignolo, Moufi, Dener, Pedro Sá, Poha (Anderson, 63), Aylton Boa Morte, Fabrício (Ewerton, 85) e Beto (Bruno Moreira, 85).

(Suplentes: Ricardo, Ewerton, Anderson, Henrique, Bruno Moreira, Lucas Tagliapietra, Salmani, Casagrande e Lee).

Treinador: Paulo Sérgio.

- Rio Ave: Kieszek, Costinha, Borevkovic, Aderllan Santos, Pedro Amaral, Filipe Augusto, Fábio Coentrão (Carlos Mané, 85), Guga, Francisco Geraldes, Gelson Dala e Brandão (Camacho, 68).

(Suplentes: Léo Vieira, Nelson Monte, Tarantini, Pelé, Ronan, Carlos Mané, Sávio, Camacho e Gabriel Sousa).

Treinador: Miguel Cardoso.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Dener (89) e Ewerton (90+2).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.