Desporto

F1/Portugal: Lewis Hamilton procura reforçar recorde com 100.ª ‘pole position'

28-04-2021

Aos 36 anos, o sete vezes campeão do mundo é o piloto com mais saídas desde o primeiro lugar da grelha de partida, com 99 ‘poles’, mas em Portugal pode atingir um número redondo que jamais foi atingido, as 100

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) vai procurar, no Grande Prémio de Portugal, em Portimão, alcançar a 100.ª ‘pole position’ da carreira e reforçar o seu recorde.

Aos 36 anos, o sete vezes campeão do mundo é o piloto com mais saídas desde o primeiro lugar da grelha de partida, com 99 ‘poles’, mas em Portugal pode atingir um número redondo que jamais foi atingido, as 100.

Hamilton já tinha superado em 2017 o recorde que era do alemão Michael Schumacher, no Grande Prémio de Itália, para o qual partiu pela 69.ª vez da primeira posição.

Em 25 de outubro de 2020, o britânico partiu do primeiro lugar da grelha para a vitória na estreia do circuito algarvio na Fórmula 1, naquela que foi, então, a sua 97.ª ‘pole’ – voltou a ser o mais rápido no Bahrain, na época passada, e, já esta temporada, em Imola.

Com 268 corridas disputadas e 99 ‘pole positions' alcançadas, o heptacampeão mundial tem uma percentagem de 36% de poles. Um número que supera largamente os 22% de Michael Schumacher (68 poles em 306 GP disputados) mas que fica aquém do outro especialista das qualificações, o brasileiro Ayrton Senna.

O piloto brasileiro garantiu 65 ‘pole positions' nas 161 corridas disputadas, uma taxa de sucesso de 40%.

Em termos de percentagens, ninguém chega, contudo, aos números do argentino Juan Manuel Fangio, que tem 55% de taxa de sucesso, com 29 pole em 52 corridas disputadas.

Hamilton, que procura esta temporada um inédito oitavo título mundial, ainda tenta o maior número de poles numa só temporada (o alemão Sebastian Vettel tem 15 e o britânico Nigel Mansell 14).

A 18.ª edição do Grande Prémio de Portugal vai ser disputado entre sexta-feira e domingo, no Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão, pelo segundo ano consecutivo, naquela que vai ser a terceira prova do Mundial de 2021.