Cultura.Sul

Festa da Ilha da Culatra na lista de património imaterial em consulta pública

05-05-2021

A festa em honra de Nossa Senhora dos Navegantes conta com uma procissão no primeiro domingo de cada mês de agosto

A inclusão no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial da Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes da ilha da Culatra, concelho de Faro, entrou em fase de consulta pública, segundo anúncio publicado em Diário da República.

A publicação do anúncio no Diário da República dá início a um período de 30 dias para apresentação de contestações ou aportes ao processo e, finalizado este processo de consulta pública, a Direção-Geral do Património Cultural tem 120 dias para decidir sobre o pedido de inventariação da “Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes - Ilha da Culatra”.

Os interessados têm agora 30 dias para consultar e pronunciarem-se sobre o processo, que visa classificar a festa mais representativa da comunidade piscatória da Culatra, uma das ilhas barreira da Ria Formosa, pertencente ao concelho e distrito de Faro, mas ligada, por tradição e proximidade geográfica, a Olhão.

A entidade proponente da inscrição foi, em 2019, a Associação dos Moradores da Ilha da Culatra.

“A Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes é indissociável da própria história da Ilha da Culatra e por esse motivo, para compreender uma é preciso conhecer a outra”, pode ler-se no historial, disponível na Matriz PCI.

A festa em honra de Nossa Senhora dos Navegantes conta com uma procissão no primeiro domingo de cada mês de agosto, que começa com a retirada da imagem da padroeira da comunidade piscatória da Culatra da capela local para ser levada a bordo de uma embarcação de pesca, pela Ria Formosa, até Olhão.

No cais de Olhão, a procissão marítima recolhe a imagem de Nossa Senhora do Rosário, a padroeira da cidade, e inicia o regresso à Culatra, onde se realiza depois uma procissão pelas ruas do núcleo piscatório e uma missa.

Ainda assim, como recorda a documentação do evento, ”não se pode considerar que a Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes seja apenas uma festa religiosa quando na realidade é toda uma manifestação cultural em si o que está também implícito no modo mais abrangente como a consideram - a ‘Festa da Ilha’”.